ALERTA À POPULAÇÃO

Se o PLC 249 (Regime de Recuperação Fiscal) for aprovado, serão congelados os investimentos na educação, saúde e segurança e permitidos convênios com organizações sociais, privatizando serviços essenciais e de responsabilidade pública. A dívida do Estado com a União aumentará em R$ 30 bilhões e estatais lucrativas e estratégicas serão vendidas.

As entidades dos servidores públicos sempre afirmaram que a crise não é de despesa, mas de receita. Empresários que tem apoiado o Regime de Recuperação Fiscal proposto por Sartori (PMDB) e seus aliados, devem ter a grandeza de reconhecer a parte que lhes cabe da crise fiscal e abrir mão dos incentivos fiscais recebidos, ou então deixarem de sonegar os impostos devidos.

O RS deixa de recolher R$ 7 bilhões ao ano graças à sonegação e outros R$ 9 bilhões devido às isenções fiscais a grandes empresas. Os servidores também esperam dos empresários gaúchos que usem sua força política para exigir de Sartori uma ação mais efetiva junto ao Governo golpista de Temer na recuperação das perdas da Lei Kandir, soma que ultrapassa os R$ 48 bilhões, e a cada ano acresce 4 bilhões.

O trabalhador gaúcho não tem dinheiro para financiar campanhas, mas tem votos.

Deputado que vota com Sartori e contra o povo gaúcho não voltará à Assembleia.

SINTERGS • SENGE/RS • AFAGRO • SINDET • UGEIRM • SINDIAGUA • SEMAPI/RS • SENERGISUL • CPERS • SINTEC/RS • SEASOP • SIMPE-RS • SINDISPGE/RS • SINDJUS/RS • CGTB • AFAGRO • UNIÃO ELETRICITÁRIA RS • FEMERGS • FEESSERS • SITRAMICO/RS • SINTEC/RS • SIND. MINEIROS DE CANDIOTA • SINDICAIXA • CEAPE SINDICATO • INTERSINDICAL • CUT/RS