Mesmo com recordes de arrecadação e com liminar que suspende pagamento da dívida, Chefe da Casa Civil insiste no discurso da falta de dinheiro em reunião com Sintergs

O Chefe da Casa Civil, Fábio Branco, acenou com a possibilidade de encaminhar em 2018 as promoções dos quadros representados pelo Sintergs. Para isso, condicionou o secretário, a União Federal precisa aceitar a adesão do RS ao Plano de Recuperação Fiscal.

O encontro para discutir demandas das categorias representadas pelo Sintergs ocorreu nesta quinta-feira (14/12) entre a Casa Civil e a diretoria do Sindicato.

O Sintergs apresentou à Casa Civil as demandas das categorias que representa, sendo que as principais questões são reposição das perdas inflacionárias, promoções dos Técnicos-Científicos e Especialistas em Saúde, além da incorporação da dedicação exclusiva na aposentadoria para os Especialistas em Saúde. Há ainda a questão do quadro dos Extranumerários, que não possuem direito a promoções.

Durante o encontro, o Sindicato reivindicou ainda a alteração na Lei 13.417 que trata da avaliação das promoções dos Especialistas em Saúde, uma vez que com a legislação atual torna o processo burocrático e lento.

Durante a reunião, o Chefe da Casa Civil insistiu na repetição do discurso de crise e que o Estado não tem dinheiro, mesmo batendo recordes de arrecadação de impostos e com liminar em vigor que suspendeu o pagamento da dívida do RS para com a União, sem contar o atraso no pagamento dos salários dos servidores públicos.

Participaram da reunião o presidente do Sintergs, Nelcir André Varnier, o 1º Vice-presidente do Sintergs, Guilherme Toniolo, e o Secretário Chefe da Casa Civil, Fábio Branco.