Secretário da Saúde de Poa quer abrir mão de servidores do Estado cedidos para o município e atendimento nos postos da capital pode ser afetado

O Sintergs denuncia que o secretário municipal da saúde de Porto Alegre, Erno Harzheim, decidiu abrir mão de servidores que atuam na área da saúde do Estado que são cedidos para o município.

Em reunião realizada na sexta-feira (06/10), o secretário municipal da saúde colocou que a gestão atual não tem interesse que os servidores sigam trabalhando com a atual carga horária, mesmo que com respaldo jurídico. Segundo Harzheim, o município perde muitas horas. Além disso, destacou que acredita que os servidores do Estado cedidos para o município se submeterão a carga horária definida pelo gestão atual da prefeitura e não retornarão para o Estado.

Os dirigentes do Sintergs que participaram do encontro agurmentam, em defesa dos servidores, que o acordo feito no passado estipulou a carga horária dos servidores cedidos para o município.

Mesmo assim, durante a reunião, o secretário da saúde de Poa salientou que aqueles servidores que não gostarem da decisão estão liberados para voltar para seu local de trabalho de origem. A decisão pode colocar em risco atendimento nos postos de saúde da capital gaúcha, pois muitos dos profissionais que atuam nesses locais são servidores públicos estaduais cedidos para o município.

A reunião teve a participação do do 1º Vice-presidente do Sintergs, Guilherme Toniolo, do 2º Vice-presidente do Sintergs, Joanes Machado da Rosa, e do Diretor de Assuntos Funcionais e Qualificação Técnica do Sindicato, Elpídio Jaques de Borba.

Desde 1994, os servidores estaduais Especialistas Técnicos e Extranumerários foram cedidos para o município de Porto Alegre e atuam nas áreas mais diversas de assistência em saúde.