SINTERGS EM MOVIMENTO! Em Brasília, Sintergs e CGTB trabalham contra reforma da previdência do Governo Temer

Diante da possível votação da Reforma da Previdência do Governo Temer, o Sintergs e a Central Geral dos Trabalhadores do Brasil (CGTB) estão em Brasília (DF) percorrendo gabinetes e trabalhando contra a retirada de direitos dos trabalhadores, tanto do setor público como da iniciativa privada.

Nesta quarta-feira (13/12), a executiva nacional do PSDB decidiu fechar questão pela aprovação da reforma da Previdência – o assunto central das discussões políticas do momento no País. Esta é a primeira reunião do PSDB sob o comando do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin. Ainda nesta quarta, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), ao ser entrevistado sobre a data da votação da reforma não confirmou se a análise do texto em plenário ficará para 2018.

Na Câmara dos Deputados Federais, no entanto, o 1º Vice-presidente do Sintergs, Guilherme Toniolo, o presidente nacional da CGTB, Ubiraci Dantas de Oliveira, e o 1º Vice-presidente da CGTB, Carlos Alberto Dahmer, em reunião com o deputado federal Assis do Couto (PDT-PR), ouviu do parlamentar que PDT todo foi orientado a votar contra a reforma da Previdência.

Ainda de acordo com o deputado, aquele que votar a favor da reforma da previdência do Governo Temer deverá ser expulso do partido. Durante a conversa, o parlamentar disse acreditar que o governo não tem os votos necessários para aprovar o texto da reforma. “Em todo caso, não podemos facilitar para o Governo Temer”, concluiu.

O governo vem, nas últimas semanas, negociando para tentar votar a proposta na Câmara ainda neste ano. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), é um dos principais articuladores. Por se tratar de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC), o texto precisa do apoio de pelo menos 308 deputados em dois turnos de votação. Depois, segue para a análise do Senado, também em dois turnos.